Inteiros são os corações que se reconhecem na mais íntima das relações

Inteiros são os corações que se reconhecem na mais íntima das relações

Inteiros são os corações que se reconhecem na mais íntima das relações. Aquela em que o mundo todo pode se desmoronar. Em que tudo pode se transformar em pedra, mas você tem flor por dentro.

Quando digo sobre eternidade, eu falo daqueles momentos que ficam. Aqueles detalhes que permanecem inteiros dentro de nós, como um diário escrito que ninguém consegue apagar.

Nós nos aprofundamos no mundo das pessoas e mesmo que não queiramos, sempre deixamos algo em troca por tudo aquilo que recebemos. Somos paralelos, andando lado a lado, e vez em quando as mãos se tocam. Os olhos se cruzam, e aquele calor dos dedos se torna inesquecível, mesmo que sejam apenas segundos de mãos dadas.

Quando invadimos outra vida, sem querer, passamos a fazer parte dela, daquele tempo exposto, vivido, daquela emoção que cultivamos durante os ínfimos detalhes daquele momento. Saímos de órbita sem tirar os pés do chão, e sem ter asa alguma a gente voa. E este voo faz com que as pequenas frestas que abrimos no coração da outra pessoa, não se fechem nunca mais. Nós nos tornamos inesquecíveis, porque o que fizemos foi algo bom, algo que acrescentou e nos fez maiores ainda dentro do que queríamos ser.

Nem todos que nos abraçam nos têm por inteiros, porque muitas vezes somos o inverso dos olhos que nos enxergam, mas elas também têm de nós o melhor que podemos ser. Inteiros são os corações que se reconhecem na mais íntima das relações. Aquela em que o mundo todo pode se desmoronar. Em que tudo pode se transformar em pedra, mas você tem flor por dentro.

Intenso, vívido e forte é o amor indefinido. Indefinido porque você pode procurar por toda sua vida e não haverá respostas. Não haverá quem desenhe ou te faça acreditar que isso é assim mesmo, e que você não passa de um apaixonado bobo e sutil, que enxerga delicadeza nos espinhos, ou a beleza nas árvores no outono.

Que essa eternidade nos seja de toda e maior grandeza, pois dela se faz a nossa vida. O encanto de poder partir pra outros planos, mas saber que neste, em algum lugar, alguém te amou, ou, você deixou algo em alguém. Não há planos, não há formato, não há regras que definam o que é eterno. Basta ser de verdade o amor, que aquilo fica por toda vida. E inteiros são os corações que se reconhecem na mais íntima das relações.

Recomendamos para você . ...................................................................................................................................................................................................................................................
Ricardo Ferraz

Ricardo Ferraz

Casado, pai de dois filhos, observador de pessoas e comportamentos. Apaixonado pela escrita e pela forma como ela nos orienta a pôr pra fora tudo aquilo que incomoda por dentro. Motivos para escrever não me falta, porque amor sempre me sobra.
Ricardo Ferraz